terça-feira, 23 de maio de 2017

No meu copo 604 - Pedra Cancela Castas Nativas 2012

A prova deste vinho foi algo decepcionante, coisa a que não estamos habituados nos vinhos Pedra Cancela.

No aroma apresentou-se discreto, o corpo ligeiro, na boca com pouca estrutura, final curto. Não há muito mais para dizer, certamente foi apenas uma excepção ao bom nível que costuma ser norma desta casa. Pode ter sido apenas azar com uma garrafa que não evoluiu como se esperava. Esperemos pela próxima.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Pedra Cancela Castas Nativas 2012
Região: Dão
Produtor: Pedra Cancela Vinhos do Dão
Grau alcoólico: 13%
Castas: Touriga Nacional, Alfrocheiro
Preço com a Revista de Vinhos: 6,00 €
Nota (0 a 10): 7

sexta-feira, 19 de maio de 2017

No meu copo 603 - Quinta do Cerrado: Reserva tinto 2011; Encruzado branco 2012

Eis uma marca que conheço há um ror de anos, mas que tenho bebido pouco. A única menção neste blog a um vinho deste produtor já data de há mais de 7 anos, e foi um branco de Malvasia Fina.

Agora surgiu esta ocasião para provar (por duas vezes) o branco de Encruzado e o tinto Reserva.

O Reserva tinto mostrou uma cor granada com aroma predominante a frutos vermelhos e alguma notas de madeira. Na boca apresenta-se com boa estrutura mas com elegância, taninos redondos e final médio a longo. É bom sem ser excelente.

Quanto ao branco de Encruzado, do qual já tinha boas referências, foi uma bela revelação. Um excelente exemplar da casta da moda no Dão, que se apresenta aqui com vários anos de garrafa pleno de saúde, frescura, acidez e persistência, com uma cor citrina brilhante sem sinais de oxidação tanto na cor como no aroma.

Fermentou em 30% em barricas de carvalho, sem dar quaisquer sinais de excesso de madeira, muito bem integrada no conjunto.

Para saber o que o Encruzado nos pode dar de melhor e como pode evoluir bem em garrafa, aqui está um excelente exemplar. Poderá ser um dos melhores brancos do Dão e, porventura, do país.

Imperdível! Recomenda-se.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Região: Dão
Produtor: União Comercial da Beira

Vinho: Quinta do Cerrado Reserva 2011 (T)
Grau alcoólico: 13%
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz e Jaen
Preço em feira de vinhos: 6,85 €
Nota (0 a 10): 7,5

Vinho: Quinta do Cerrado, Encruzado 2012 (B)
Grau alcoólico: 13%
Casta: Encruzado
Preço em feira de vinhos: 5,62 €
Nota (0 a 10): 8,5

segunda-feira, 15 de maio de 2017

No meu copo 602 - Casa da Passarela Vinhas Velhas 2008

Esteve em repouso na garrafeira, à espera de ser bebido em boa ocasião e boa companhia. Ao contrário da generalidade dos vinhos da casa, não se mostrou muito exuberante de aromas nem muito expressivo na boca, com final algo curto.

Poderia estar a atravessar uma fase de evolução menos favorável, talvez num patamar de instabilidade, pois as expectativas eram superiores. A rever numa próxima ocasião.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Casa da Passarela Vinhas Velhas 2008 (T)
Região: Dão
Produtor: O Abrigo da Passarela
Grau alcoólico: 13,5%
Castas: provenientes de vinhas velhas
Preço em feira de vinhos: 8,48 €
Nota (0 a 10): 7

quinta-feira, 11 de maio de 2017

No meu copo 601 - Bella Superior 2012

Este tinto do Dão foi adquirido com a Revista de Vinhos de Fevereiro de 2014. Desconhecia em absoluto esta marca e este produtor.

Esperei estes anos para abri-lo com a intenção de não o beber demasiado jovem. Bebido agora com 5 anos de idade mostrou estar a caminho da maturidade. Apresentou-se macio, suave e redondo, com boa presença na boca, taninos macios e final elegante com boa persistência. Para novidade, portou-se bem.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Bella Superior 2012 (T)
Região: Dão
Produtor: Quinta do Dão Bella Encosta, Soc. Vitivinícola
Grau alcoólico: 13,5%
Casta: Touriga Nacional
Preço com a Revista de Vinhos: 6,00 €
Nota (0 a 10): 7,5

sexta-feira, 5 de maio de 2017

600 provas - Resumo de vinhos

Foram estes os vinhos provados durante a sexta centena de posts.

Espumantes
Herdade do Perdigão Bruto 2014 - 8
Marquês de Borba Bruto rosé - 8
Montanha Real Grande Reserva Bruto 2009 - 8


Rosé

Douro
Quinta de Cidrô rosé 2014 - 8


Dão


Bairrada
Frei João 2013 - 7,5

Tejo
Lagoalva 2014 - 7,5
Quinta do Casal Monteiro 2015 - 3

Península de Setúbal


Alentejo
Pouca Roupa 2014 - 7




Brancos

Verdes
Aveleda Colheita Selecionada, Alvarinho 2014 - 7,5
Follies, Alvarinho-Loureiro 2012 - 7,5
Quinta da Aveleda Colheita Selecionada, Loureiro e Alvarinho 2014 - 7
Quinta da Calçada Reserva 2013 - 7,5


Douro
Aveleda 2013 - 7,5
Planalto Reserva 2015 - 7,5
Quinta de Cidrô, Alvarinho 2013 - 8

Távora-Varosa


Dão
Pedra Cancela Seleção do Enólogo branco 2012 - 7,5

Beira Interior


Bairrada
Aveleda Reserva da Família 2011 - 7,5
Campolargo 2015 - 7,5
Diga? 2009 - 8,5

Tejo
Cabeça de Toiro Reserva 2015 - 7
Fiúza 3 Castas branco 2013 - 7,5
Fiúza, Chardonnay 2015 - 7
Lagoalva Talhão 1 2014 - 7,5
Ninfa, Sauvignon Blanc 2014 - 8
Quinta da Alorna, Arinto 2010 - 7,5

Lisboa
Quinta de Pancas 2015 - 7
Quinta do Gradil, Sauvignon Blanc e Arinto 2013 - 7,5
Quinta dos Plátanos 2013 - 7,5

Bucelas
Quinta do Boição Reserva, Arinto 2012 - 8

Península de Setúbal
Adega de Pegões, Chardonnay e Arinto 2011 - 5
BSE (Branco Seco Especial) 2014 - 7
Casa Ermelinda Freitas, Sauvignon Blanc e Verdelho 2012 - 8
Domingos Soares Franco Colecção Privada, Verdelho 2014 - 8,5
Quinta da Bacalhôa 2012 - 8
Quinta de Camarate Seco 2014 - 7
Terras do Pó, Chardonnay e Viognier 2014 - 6,5

Alentejo
Herdade do Peso 2014 - 7
Invisível, Aragonês 2013 - 8
Monte Velho Edição Manta Alentejana 2015 - 7,5
Pouca Roupa 2014 - 7,5
Sossego 2015 - 7
Terrenus 2013 - 7
Vidigueira Grande Escolha (Ato V - A Decisão) 2014 - 8
Vidigueira Premium (Ato III - A Saudade) 2015 - 7,5
Vila dos Gamas, Antão Vaz (Ato II - A Partida) 2015 - 7
Vila Santa Reserva 2015 - 8

Algarve
Marquês dos Vales Primeira Selecção 2013 - 7,5



Tintos

Douro
Cabeça de Burro Reserva 2011 - 7,5
Desconhecido 2013 - 8
Douro Sogrape Reserva 2000 - 8,5
Escada Reserva 2007 - 8
Tons de Duorum - 6,5

Dão
Casa da Ínsua 2012 - 7,5
Casa da Passarela Reserva 2009 - 8
Caves São João: 93 anos de história 2011 - 8
Paço dos Cunhas de Santar Nature 2012 - 8
Pedra Cancela Eco-Friendly 2011 - 8
Quinta do Sobral Reserva 2010 - 5

Beira Interior


Bairrada e Beiras
2221 Terroir de Cantanhede 2011 - 9
A Jovem Calda Bordaleza 2011 - 8
Casa de Saima Garrafeira, Baga 2008 - 8
Caves São João Reserva Particular 1975 - 8,5
CR&F Garrafeira 1980 - 8
Dom Teodósio Garrafeira 1985 - 9
Frei João 1990 - 8
Frei João Reserva 1978 - 8,5
Messias Garrafeira 1983 - 8
Quinta do Valdoeiro, Cabernet Sauvignon 2011 - 8
Vilarinho do Bairro Garrafeira 1983 - 8

Tejo
Cabeça de Toiro Reserva 2012 - 8
Conde de Vimioso Reserva 2012 - 8,5
Coudel-Mor Reserva 2011 - 8
Fiúza, 3 Castas 2014 - 7,5
Fiúza Premium, Touriga Nacional e Cabernet Sauvignon 2008 - 7,5
Marquesa de Alorna Reserva 2008 - 8,5
Quinta da Lagoalva de Cima, Syrah e Touriga Nacional 2010 - 7,5

Lisboa
Gaeiras Colheita Seleccionada 2010 - 7,5
Quinta de Pancas 2014 - 7,5
Quinta de Pancas Reserva 2008 - 7
Quinta do Gradil, Touriga Nacional e Tannat 2009 - 7

Colares
Beira Mar -7,5

Península de Setúbal
Adega de Pegões, Aragonês 2013 - 8
Adega de Pegões, Cabernet Sauvignon 2012 - 8
Adega de Pegões, Touriga Nacional 2013 - 7
Casa Ermelinda Freitas, Alicante Bouschet 2012 - 8
Casa Ermelinda Freitas Reserva, Syrah 2013 - 8
Casa Ermelinda Freitas Reserva, Touriga Franca 2013 - 7
Quinta de Camarate 2012 - 7,5

Alentejo
Alentejo Sogrape Reserva 2000 - 8,5
Barrancos - Castelo de Noudar Colheita Seleccionada 2011 - 8
Cortes de Cima, Homenagem a Hans Christian Andersen 2007 - 9
Esporão Reserva 2009 - 8
Herdade do Peso, Aragonês 2000 - 8
Herdade do Peso 2003 - 7,5
Herdade do Peso Reserva 2003 - 8,5
Herdade do Peso 2013 - 7,5
Loios 2011 - 7
Marquês de Borba 2011 - 8
Monte da Raposinha 2012 - 4
Monsaraz Reserva 2011 - 7
Monte Mayor Reserva 2013 - 6
Monte Mayor Reserva 2014 - 7,5
Monte Velho Edição Manta Alentejana 2015 - 7,5
Mouchão 2005 - 8
Reguengos Garrafeira dos Sócios 2003 - 8,5
Reguengos Garrafeira dos Sócios 2004 - 8
Reguengos Reserva 2011 - 8
Sossego 2014 - 5
Tapada de Coelheiros 2008 - 8,5
Terra Lenta Premium 2015 - 7
Terras de Monforte Escolha 2012 - 8
Terras do Marquês 2014 - 8
Terrenus 2012 - 7
Vale Barqueiros Limited Edition Garrafeira 2007 - 8
Vidigueira, Alicante Bouschet (Ato IV - A Inspiração) 2014 - 7,5
Vidigueira Grande Escolha (Ato V - A Decisão) 2012 - 8
Vidigueira Premium (Ato III - A Saudade) 2015 - 7,5
Vinha da Tapada de Coelheiros 2013 - 8
Vinha do Almo Escolha 2014 - 7
Vila dos Gamas Master Collection (Ato II - A Partida) 2014 - 7,5
Vinha da Defesa 2011 - 7,5

Algarve



Estrangeiros

Brancos
Domaine Félix branco 2014 - 8
Sauternes Château de l’École 2010 - 8,5
Villa Maria, Sauvignon Blanc 2015 - 7,5

Tintos
Campobarro Reserva 2011 - 8

segunda-feira, 1 de maio de 2017

No meu copo 600 - Tintos velhos da Bairrada (9)

CR&F Garrafeira 1980; Messias Garrafeira 1983; Vilarinho do Bairro Garrafeira 1983; Dom Teodósio Garrafeira 1985

  

Para assinalar mais uma centena de posts (a 6ª) dedicados a vinhos provados à mesa, nada melhor do que voltar à senda dos vinhos velhos da Bairrada, agora com os restos de colecção de algumas verdadeiras relíquias. São os últimos exemplares que foram ficando guardados durante anos na garrafeira e que agora temos ido desbastando a pouco-e-pouco. Algumas destas marcas já nem sequer existem, tendo sido absorvidas por outros produtores que entretanto foram surgindo.

Uma das empresas clássicas era a Carvalho, Ribeiro & Ferreira, que produzia vinho em várias regiões e um Garrafeira com o próprio nome, que há algum tempo tivemos a possibilidade de provar. Este Bairrada CR&F Garrafeira de 1980 foi um vinho de que adquiri inúmeras garrafas durante a década de 90, em locais diversos. Tornou-se um caso de paixão, que me levou a construir um stock em quantidade suficiente para sobreviver durante cerca de duas décadas. Foi consumido com parcimónia, na companhia de apreciadores do género, que foram acompanhando a sua evolução em garrafa. A partir de certo ponto entrou num patamar de estabilidade donde parece não sair mais. Não decaiu nem melhorou. Era um vinho bem estruturado mas elegante, macio, persistente e de cor rubi aberta. Manteve esse perfil ao longo dos anos, agora naturalmente com muito menor vivacidade mas ainda com acidez suficientemente presente para não se tornar chato nem morto. Devido à sua extrema delicadeza, bebemo-lo preferencialmente com bifes à café, não excessivamente temperados mas bem regados com molho, e foi sempre uma excelente parceria.

Outro caso semelhante foi o Messias Garrafeira de 1983, também com um stock que durou anos. Tivemos, aliás, oportunidade de o partilhar com os participantes no 1º encontro de eno-blogs, há uns anos. Era um vinho mais pujante e muito aromático, mas que entrou também numa fase de equilíbrio precário, precisando por isso de ser tratado com todos os cuidados, mas mostrou que valeu a pena mantê-lo na garrafeira até aqui.

Da mesma idade, outra marca que se vê pouco e do tempo em que os vinhos tinham 11 ou 12% de álcool. Este Garrafeira 1983 da Adega Cooperativa de Vilarinho do Bairro também fez as nossas delícias em tempos, e na sua época foi muito bem classificado no Guia Comporta de Vinhos Portugueses, que se publicava na década de 90 do século passado. Também sobreviveu à prova do tempo e chegou a esta fase pleno de saúde, ainda com alguma pujança (quanto baste...) e aroma “quase” jovem.

Finalmente, um vinho uma década mais novo. As Caves Dom Teodósio foram um dos produtores absorvidos pela actual Enoport, que engloba também as antigas Caves Velhas. Este Dom Teodósio Garrafeira de 1995, oriundo do produtor original, estava fantástico. Cheio de vigor, estrutura e frescura, bouquet profundo, aromas terciários intermináveis. Estagiou primeiro em barricas de carvalho e depois um ano garrafa para obter a designação de “Garrafeira”. Em termos de cor e estrutura fez-me lembrar o Caves São João Reserva Particular de 1959, que provei na visita guiada àquele produtor. Um daqueles Bairrada à moda antiga, provavelmente um dos últimos exemplares que se conseguiu encontrar à venda, e que deixa saudades.

Todos eles deixam saudades.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Região: Bairrada

Vinho: CR&F Garrafeira 1980 (T)
Produtor: Carvalho, Ribeiro & Ferreira
Grau alcoólico: 11,5%
Nota (0 a 10): 8

Vinho: Messias Garrafeira 1983 (T)
Produtor: Sociedade Agrícola e Comercial dos Vinhos Messias
Grau alcoólico: 11,5%
Nota (0 a 10): 8

Vinho: Vilarinho do Bairro Garrafeira 1983 (T)
Produtor: Adega Cooperativa de Vilarinho do Bairro
Grau alcoólico: 11,5%
Nota (0 a 10): 8

Vinho: Dom Teodósio Garrafeira 1985 (T)
Produtor: Caves Dom Teodósio
Grau alcoólico: 12%
Castas: Baga, Castelão, Tinta Pinheira
Nota (0 a 10): 9