terça-feira, 15 de outubro de 2019

No meu copo 796 - Duas Quintas tinto 2010

Este é uma espécie de superclássico, cujo lançamento remonta à colheita de 1990. Faz parte da história, e provavelmente os mais bem informados saberão que foi o primeiro vinho tinto produzido com uvas da Quinta de Ervamoira sob a batuta enológica de João Nicolau de Almeida.

Tive a felicidade de provar essa primeira colheita e desde então sempre o acompanhei com regularidade. É um daqueles vinhos em que podemos confiar que nunca nos irão desiludir.

Também aqui foi um pouco posto à prova, perante o juízo do tempo. Bastante mais fechado no início do que o Casa de Santar Reserva, referido no post anterior. Alguns aromas de redução fizeram com que fosse necessário esperar pelo devido arejamento, de modo a que o vinho voltasse à normalidade.

Ultrapassado esse período inicial, reencontrámos então o clássico: bastante concentrado na cor, com frutos vermelhos predominantes no aroma, complexo e amplo na boca e com final persistente, ainda a mostrar alguma robustez.

Mesmo já com alguma idade, mostrou que estava ali para as curvas, embora, também neste caso, não pareça valer a pena guardá-lo por mais tempo.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Duas Quintas 2010 (T)
Região: Douro
Produtor: Ramos Pinto
Grau alcoólico: 13,5%
Castas: Tinta Roriz, Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinto Cão, Tinta da Barca
Preço em feira de vinhos: 8,49 €
Nota (0 a 10): 8

Sem comentários: