sábado, 14 de novembro de 2015

No meu copo 490 - Evel tinto 2012

Continuando a descomplicar, voltamos agora à Real Companhia Velha, depois dos brancos monocasta da Quinta de Cidrô nos meses anteriores.

O Evel também é uma marca muito antiga, estando registada desde 1913. Comecei por conhecê-lo na mesma época do Dão Meia Encosta (referido no post anterior), primeiro o branco e só mais tarde o tinto, a par com o Porca de Murça. Agora já surgiu um Reserva, um Grande Escolha, e mais recentemente um Evel XXI...

Este tinto é o mesmo de sempre, o clássico, produzido com uvas provenientes de diversas quintas da Real Companhia Velha nas zonas de Alijó, Pinhão e São João da Pesqueira.

Evel é “leve” escrito ao contrário. Leve nasceu, leve se mantém. De cor rubi, suave, aberto, macio, mediano de corpo e de persistência. É agradável e frutado no paladar, sem sinal dos 8 meses de contacto com a madeira, com taninos bem suaves e redondos.

É bom e é barato.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Evel 2012 (T)
Região: Douro
Produtor: Real Companhia Velha
Grau alcoólico: 13,5%
Castas: Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz
Preço em feira de vinhos: 3,49 €
Nota (0 a 10): 7

1 comentário:

Rui Soares disse...

Uma boa companhia já desde há muitos anos, tal como o branco.