quinta-feira, 26 de novembro de 2015

No meu copo 493 - Periquita Reserva 2010

O Periquita, marca de vinho mais antiga produzida em Portugal, tem vindo a ter o seu portefólio alargado. Mudou a garrafa, o rótulo, surgiu o Reserva, o branco e o rosé.

Tenho sempre alguma hesitação em relação a este vinho. Por um lado, ele é bastante melhor que o Periquita Clássico, mas fico sempre com uma certa sensação de expectativas frustradas. É certo que não é um vinho mau, nem sequer razoável, é bom. Mas parece que estou sempre à espera de mais qualquer coisa que me surpreenda.

Acho que talvez seja isto que falta a este Periquita Reserva: algo de verdadeiramente novo, inesperado, surpreendente, como o enólogo Domingos Soares Franco nos tem habituado com as suas apostas arrojadas, como o rosé de Moscatel Roxo ou o excelente branco de Verdelho da Colecção Privada.

Este Periquita Reserva 2010 estagiou 8 meses em barrica e apresenta um aroma predominante a frutos vermelhos. É suave na boca, com persistência média e medianamente encorpado. O final está ali entre o macio e o rugoso.

Não é caro e não é uma má aposta para o preço que custa. Mas falta-lhe algum golpe de asa.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Periquita Reserva 2010 (T)
Região: Península de Setúbal
Produtor: José Maria da Fonseca Vinhos
Grau alcoólico: 13%
Castas: Castelão, Touriga Nacional, Touriga Franca
Preço em feira de vinhos: 6,29 €
Nota (0 a 10): 7,5

Sem comentários: