sábado, 13 de dezembro de 2014

No meu copo 419 - Esporão, Verdelho 2011; Esporão, Duas Castas 2013

Regressamos a dois brancos do Esporão que já se impuseram nas nossas preferências. O monocasta Verdelho e o Duas Castas que, seguindo o mesmo princípio do Quatro Castas tinto, é composto pelas duas melhores castas brancas de cada ano, pelo que a sua composição é muito variável.

O Verdelho, mais uma vez, correspondeu inteiramente ao que se esperava. Aroma intenso com notas tropicais, vivo, persistente e estruturado na boca, com uma acidez refrescante e apetitosa, que o torna um vinho guloso e de que apetece sempre beber mais. Para nós tornou-se um branco incontornável, e consideramo-lo um dos melhores do país.

Quanto à versão mais recente do Duas Castas, apresenta-se suave, aromático, persistente e estruturado. Um ligeiro aroma cítrico complementado com notas minerais, boa acidez e elegância. Também é uma boa aposta, tanto mais notável quanto é verdade que estamos a falar dum branco da planície, de clima quente.

Como o Esporão consegue produzir brancos com esta frescura, acidez e leveza, é um feito de realçar. Só pode ser um caso de extrema competência e sabedoria.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Região: Alentejo (Reguengos)
Produtor: Esporão

Vinho: Esporão, Verdelho 2011 (B)
Grau alcoólico: 13,5%
Casta: Verdelho
Preço em feira de vinhos: 7,98 €
Nota (0 a 10): 9

Vinho: Esporão, Duas Castas 2013 (B)
Grau alcoólico: 13,5%
Castas: Gouveio (70%), Antão Vaz (30%)
Preço em feira de vinhos: 7,75 €
Nota (0 a 10): 8

Sem comentários: