segunda-feira, 30 de setembro de 2013

No meu copo 341 - Duorum 2011; Tons de Duorum 2011

Voltamos aos vinhos de João Portugal Ramos, na sua vertente duriense que partilha com José Maria Soares Franco sob o nome Duorum. Depois dos brancos, agora os tintos.

Aproveitando um dos encontros de Verão em que se destacaram os brancos, resolvemos inovar e inverter os termos habituais da coisa: bebemos os tintos com as entradas, entre alguns enchidos e presunto, antes dos brancos! Há que ousar desafiar os dogmas...

Como eram dois vinhos da mesma casa, abrimo-los ao mesmo tempo e fomos provando os dois em simultâneo. Ambos se saíram bastante bem da prova.

À semelhança da versão branca, a versão tinta do Tons de Duorum bebe-se com facilidade e agrado, é um vinho sem grande complexidade mas feito para agradar no imediato, com corpo médio, frescura e fruta marcante no nariz.

Já o Duorum mostra, logo à primeira impressão, que é doutro campeonato. Estruturado, persistente, elegante e complexo, vai-se vai mostrando a pouco e pouco e que requer tempo para o possamos apreciar. Beneficia com a decantação e promete longa vida em garrafa.

Comparando estes dois vinhos, o Politikos fez uma observação que resume cada um: o Dourum é de ouro, enquanto o outro tem “apenas” uns tons de Duorum...

Kroniketas, enófilo esclarecido

Região: Douro
Produtor: Duorum Vinhos

Vinho: Duorum 2011 (T)
Grau alcoólico: 13,5%
Castas: Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz
Preço em feira de vinhos: 8,49 €
Nota (0 a 10): 8,5

Vinho: Tons de Duorum 2011 (T)
Grau alcoólico: 13,5%
Castas: Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz
Preço em feira de vinhos: 3,75 €
Nota (0 a 10): 7

1 comentário:

Rui Soares disse...

Olá.

Já conhecia o Duorum e apesar de ser óptimo para consumo imediato, convém algum tempo no copo para podermos desfrutar na totalidade, esta característica permite-lhe de facto alguns anos na garrafeira. O Tons de Duorum é um vinho para abrir, consumir e saborear de imediato.