domingo, 4 de março de 2018

No meu copo 659 - Reguengos Garrafeira dos Sócios 2007

Um clássico dos clássicos, desta vez revisitado mais depressa do que habitualmente. Uma ou duas vezes por ano é sempre chamado à nossa mesa.

Já aqui contámos por mais de uma vez a história de como conhecemos este vinhos e da nossa paixão por ele. Então, o que haverá ainda para dizer?

Em primeiro lugar, a prova do tempo. Só os grandes vinhos superam a prova do tempo, e poucos o fazem com distinção.

O que acaba por impressionar mais neste vinho é a consistência qualitativa de colheita para colheita. O lote de uvas que o compõem tem-se mantido estável, com castas típicas da região (a partir da colheita de 2011 já houve alterações, mas a seu tempo lá chegaremos), o que permite manter sempre um mesmo perfil ao longo de mais de duas décadas.

No caso desta garrafa, é um vinho com 10 anos, comprado em 2014. Compramo-lo quase sempre para guardar, ficando esquecido na garrafeira até que a oportunidade surja. Ao fim deste tempo, os aromas primários mais frutados já lá não estão, mas a profundidade aromática acaba por surgir.

Neste caso foi decantado uma hora e meia antes da refeição, sendo que apenas quase uma hora depois de começar a ser bebido é que se libertou e abriu os aromas. Apareceu muito contido, de aroma muito fechado. No entanto, aquela suavidade que sempre o marcou, uma espécie de elegância rústica que sempre o caracterizou, estava bem presente. Lembro-me sempre da frase do saudoso Mancha (que hoje faria 53 anos se ainda estivesse entre nós), que dizia “este vinho é veludo”. E continua a ser, independentemente de gostarmos mais ou menos de cada colheita.

Não é apenas um vinho para beber: é um vinho para degustar, saborear e apreciar.

Com tempo, muito tempo. Com calma, muita calma. Com paciência, muita paciência.

Como um bom e típico alentejano.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Reguengos Garrafeira dos Sócios 2007 (T)
Região: Alentejo (Reguengos)
Produtor: CARMIM - Cooperativa Agrícola de Reguengos de Monsaraz
Grau alcoólico: 14%
Castas: Aragonês, Castelão, Trincadeira
Preço em feira de vinhos: 11,29 €
Nota (0 a 10): 8,5

Sem comentários: