quinta-feira, 20 de abril de 2017

No meu copo 597 - Campobarro Reserva 2011

No seguimento do evento Extremadura/Alentejo, tive a possibilidade de provar um vinho, à minha escolha, que levei para casa. Dentro dos disponíveis escolhi uma das marcas mais referidas da noite, o Campobarro. Neste caso tratou-se de um monocasta de Tempranillo, a equivalente à nossa Tinta Roriz/Aragonês.

(Aliás, o nome Aragonês que lhe é dado no sul de Portugal talvez tenha a sua origem no reino de Aragão. Será?)

Foi uma escolha que de certa forma me surpreendeu, porque o vinho revelou um perfil algo diferente da maioria dos restantes, mas com as características que costumam ser típicas do Tempranillo nos vinhos mais a norte de Espanha, nomeadamente em Ribera del Duero.

Mostrou-se bem estruturado mas aberto, persistente, com final longo, um toque a especiarias e com predominância a frutos vermelhos. Mas o que mais me impressionou neste vinho foi a robustez e estrutura, em linha com os 14,5% de álcool que, apesar de tudo, estavam bem envolvidos no conjunto.

Em conclusão, um bom vinho, que deixa uma boa imagem desta região vitivinícola.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Campobarro Reserva 2011 (T)
Região: Ribera del Guadiana (Espanha)
Produtor: Bodega San Marcos
Grau alcoólico: 14,5%
Casta: Tempranillo
Nota (0 a 10): 8

Sem comentários: