domingo, 21 de fevereiro de 2016

No meu copo 509 - Quinta de Cidrô, Alvarinho 2013

Passados alguns meses, voltamos aos vinhos da Real Companhia Velha produzidos na emblemática Quinta de Cidrô, berço dos monocasta no vasto portefólio da empresa.

Depois duma abordagem ao magnífico Sauvignon Blanc e ao complexo Chardonnay, agora temos outro branco do Douro feito exclusivamente do minhoto Alvarinho.

É um vinho diferente e interessante. Estruturado, persistente, longo, com boa acidez e fruto não muito exuberante, a par com alguma mineralidade.

Não tendo as características evidentes dos Alvarinhos da região dos Vinhos Verdes, mais aromáticos, frutados e exuberantes, não deixa de ser um vinho bem conseguido e algo intrigante, que coloca um certo desafio no que toca à harmonização com o prato. Há que experimentar até acertar.

Devido à sua estrutura, é um vinho vocacionado para pratos, também eles, bem estruturados, como peixes complexos ou no forno.

Em termos de relação qualidade/preço, o Sauvignon Blanc, sempre como referência, é mais bem conseguido, mas este Alvarinho não deslustra e vale a pena experimentar.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Quinta de Cidrô, Alvarinho 2013 (B)
Região: Douro
Produtor: Real Companhia Velha
Grau alcoólico: 13,5%
Casta: Alvarinho
Preço em hipermercado: 9,99 €
Nota (0 a 10): 8

Sem comentários: