domingo, 24 de janeiro de 2016

No meu copo 502 - Reguengos Garrafeira dos Sócios 2003

Como não podia deixar de ser, para não fugir à tradição, depois dos monocasta do Esporão e dos Reservas da Sogrape, juntámos mais um exemplar de Garrafeira dos Sócios aos festejos de fim de ano. Vamos consumindo estas garrafas moderadamente e com parcimónia.

Surpresa? Nenhuma! Continua com o mesmo perfil a que nos habituou. O lote de castas mantém-se inalterável e fiel às origens e à sua própria tradição: Aragonês, Castelão e Trincadeira, tradicionalíssimas no Alentejo, constituem o trio inseparável há mais de 20 anos.

É macio, aveludado, de aroma profundo, bem estruturado e persistente, com madeira quanto baste, longo, longo longo... Para ir bebericando, saboreando e conversando com ele ao longo de um serão em que terá muito para dar e mostrar. E para ir tendo sempre de prevenção na garrafeira.

Finalmente, em 2014 houve uma colheita (de 2008) reconhecida com um prémio Escolha da Imprensa pelo júri da Revista de Vinhos. Foi exemplo quase único entre portas, a contrastar com as medalhas que traz lá de fora. E bem merece.

Para nós continua a ser uma referência entre os vinhos clássicos do Alentejo. É o “veludo” dentro duma garrafa.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Garrafeira dos Sócios 2003 (T)
Região: Alentejo (Reguengos)
Produtor: CARMIM - Cooperativa Agrícola de Reguengos de Monsaraz
Grau alcoólico: 14%
Castas: Aragonês, Castelão, Trincadeira
Preço em feira de vinhos: 14,49 €
Nota (0 a 10): 8,5

Sem comentários: