quinta-feira, 29 de outubro de 2015

No meu copo, na minha mesa 487 - Fonte de Gonçalvinho 2012; Restaurante Sala de Corte (Lisboa)

 


Numa bela tarde lisboeta juntaram-se quatro comensais para experimentar um restaurante aberto recentemente numa rua das traseiras do renovado mercado da Ribeira, na zona do Cais do Sodré (não, não é no famigerado mercado, uma caótica amálgama de balcões, mesas corridas, bancos de madeira e magotes de gente de tabuleiro na mão desesperadamente à procura dum buraquinho para se sentar. Decididamente, não se recomenda).

Não, esta “Sala de corte” é um restaurante especializado em cortes de carne de bovino, passam por vazia, picanha, entrecôte, lombo, chateaubriand e chuletón.

Sendo quatro os presentes, optámos por pedir 3 cortes distintos: entrecôte, lombo e chuletón. As carnes vêm servidas em tábuas, fatiadas em pequenos nacos, o que nos permitiu repartir equitativamente os 3 cortes entre os convivas e assim degustar adequadamente cada uma das iguarias. Preferências? Difícil... Eu diria... todas! Mas o lombo, inevitavelmente, acaba sempre por merecer uma menção especial, sem desprimor para os outros.

A acompanhar, pequenas taças de batatas fritas, esparregado e tomate cherry. Serviço atento, rápido e competente, ambiente intimista (a sala não alberga mais de 30 pessoas, já contando com os lugares disponíveis ao balcão). Qualidade irrepreensível na carne, como se esperava, a abrir o apetite para novas visitas.

A garrafeira, não sendo muito vasta, está bem recheada e com uma variedade interessante, com os vinhos mantidos a temperatura adequada (o que é sempre de realçar em Portugal).

A escolha recaiu numa das marcas da nova geração do Dão, um Fonte de Gonçalvinho 2012, produzido a partir de 4 castas emblemáticas da região. Mostrou-se suave, aromático, com aromas a frutos vermelhos e muito ligeiro toque amadeirado com taninos muito discretos, primando pela elegância e com uma persistência suave, que ligou muito bem com os nacos fatiados da carne grelhada, fazendo uma excelente parceria.

Bebeu-se com tanta facilidade que rapidamente tivemos de passar à segunda garrafa. É um vinho guloso, daqueles que se vão bebendo quase sem dar por isso.

Em resumo, um evento a repetir. Tanto no restaurante como no vinho.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Fonte do Gonçalvinho 2012 (T)
Região: Dão
Produtor: Fonte de Gonçalvinho
Grau alcoólico: 12,5%
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alfrocheiro, Jaen
Preço no restaurante: 12,50 €
Nota (0 a 10): 8

Restaurante: Sala de Corte
Rua da Ribeira Nova, 28
1200-371 Lisboa
Telef: 21.346.00.30
Preço por refeição: 35 €
Nota (0 a 5): 4,5

Sem comentários: