terça-feira, 14 de julho de 2015

No meu copo 466 - Quinta de Saes 2012

Procurar um tinto do Dão num hipermercado não é tarefa fácil. A oferta é quase sempre escassa, tanto em quantidade como em variedade. Tal e qual como acontece com a Bairrada. Ou se escolhe um vinho de entrada de gama ou se escolhe uma das marcas bem implantadas no mercado e que por isso se encontram em todo o lado (Casa de Santar, Cabriz, Quinta dos Carvalhais e pouco mais). Quando se quer fugir daqui pode ser quase como encontrar agulha em palheiro...

Numa das minhas deambulações lá encontrei algo ligeiramente diferente. Um Quinta de Saes, de Álvaro Castro. Como existem diversas variantes nas marcas deste produtor, resolvi experimentar.

Não é um vinho espectacular, nem que nos encante logo à partida. Apresenta-se aberto, frutado, com aromas a fruta vermelha madura. Fermenta em inox, a temperatura controlada, seguindo-se 9 meses de estágio em barricas de carvalho francês de segundo ano. A madeira não se destaca no conjunto nem se impõe. O resultado é um vinho que se bebe com facilidade, principalmente pela sua macieza.

Haverá outros melhores saindo das Quintas de Saes e da Pellada, mas este não desprestigia. Em todo o caso, talvez o preço esteja um pouco elevado, em comparação, por exemplo, com o tinto que ostenta o nome do produtor, que é claramente “mais vinho” que este.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Quinta de Saes 2012 (T)
Região: Dão
Produtor: Álvaro Castro - Quinta da Pellada
Grau alcoólico: 13%
Castas: Touriga Nacional, Jaen, Tinta Roriz
Preço em hipermercado: 5,99 €
Nota (0 a 10): 7

Sem comentários: