quarta-feira, 7 de maio de 2014

Na Wines 9297 (1) - Quinta dos Roques




Depois de duas visitas rápidas, finalmente consegui participar numa prova na garrafeira Wines 9297. Decorreu numa 6ª feira há cerca de 4 semanas e contou com a presença de Luís Lourenço a apresentar as novidades da Quinta dos Roques e da Quinta das Maias.

Começámos pelos brancos, sendo o primeiro o Maias 2012, um vinho de entrada de gama, leve mas agradável e com um bom aroma levemente cítrico. Seguiu-se um Quinta dos Roques, de Encruzado e Malvasia, bastante apelativo e fresco na boca. A completar o ramalhete, o Quinta dos Roques Encruzado, mais estruturado e longo, mas com menos frescura que os anteriores, menos exuberante no nariz à primeira impressão. Para fechar o lote, ainda veio à liça outro exemplar do Encruzado, mas este de 2001, um vinho que mais parecia mel, em tons já muito dourados e quase cremoso na boca, um vinho para os amantes dos brancos velhos que mostrou estar ali para durar.

Passando à fase dos tintos, começámos pelo Quinta dos Roques 2010, em excelente forma, muito aromático, a que se seguiu um Jaen da Quinta das Maias, a mostrar o aroma e o potencial duma casta quase ignorada mas que se revelou com uma boa estrutura, elegância e aromas do bosque. Depois vieram os pesos pesados: um Quinta dos Roques Garrafeira 2008, que estava decantado e mostrou ser de outro campeonato, um vinho de alto calibre, exuberante, cheio, estruturado, longo, mas ao mesmo tempo fino. E para o fim ainda estava guardado um Garrafeira 2001, um belo exemplar de como os tintos do Dão envelhecem com grande nobreza.

Luís Lourenço e o seu filho José, como sempre, muito amáveis e atenciosos com toda a gente, e o casal proprietário da loja, Helena e Alberto, desdobrando-se em atenções com os visitantes, tanto quanto o tempo e o espaço o permitiam.

Este novo espaço, embora não muito amplo, está criado com gosto, carinho e simpatia. Abriu-se aqui um refúgio para os amantes dos vinhos do Dão, com marcas seleccionadas com muito critério, e que merece ter sorte. Oxalá que assim seja, porque eles merecem.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Sem comentários: