segunda-feira, 27 de maio de 2013

No meu copo 318 - Cabeça de Toiro Reserva 2008; Guarda Rios 2007; Guarda Rios 2008

Estes são dois representantes (em três garrafas...) da nova geração de vinhos da renomeada região Tejo. Ou talvez deva dizer-se que “eram” representantes, pois mesmo antes de o consumir chegou-me ao conhecimento que o produtor do Guarda Rios, a empresa Vale d’Algares, faliu... A confirmar-se estaremos, portanto, a falar de um vinho a título póstumo...

A verdade é que as novas tendências têm levado a uma lenta mas segura recuperação de imagem, tanto na região Tejo como na região Lisboa. Já lá vai o tempo em que se associava aos vinhos do Ribatejo o carrascão do Cartaxo em garrafões de 5 litros. Agora o perfil é outro, são vinhos frescos, apelativos e mais fáceis de beber. Ao fim e ao cabo, a região seguiu um pouco a onda, com a disseminação de castas importadas de outras paragens e criou novas combinações que permitem provar um vinho destes sem que o associemos imediatamente àquela imagem de antigamente.

Por um preço bastante simpático, o Cabeça de Toiro, produzido pela Enoport (sucessora das Caves Velhas mas que vai mantendo o logótipo desta nos rótulos), dá-nos aroma a frutos maduros, frescura e uma boa acidez, corpo médio e um final vibrante. Boa relação qualidade-preço e um vinho que aparenta ser versátil.

Já o Guarda Rios é (era?) mais estruturado, mais complexo, menos imediato. Deste último tive oportunidade de provar duas colheitas, 2007 e 2008, adquiridas respectivamente em hipermercado e com a Revista de Vinhos. Curiosamente, e talvez contrariando o que fosse expectável, a colheita de 2007, resultante dum lote teoricamente mais complexo (o Alicante Bouschet e o Cabernet Sauvignon não estão presentes na colheita de 2008), agradou menos que a de 2008. Esta última mostrou-se mais estruturada, mais longa, um pouco mais pujante e persistente, com um toque a especiarias mais marcado. Uma versão mais personalizada, em suma, e mais bem conseguida.

Se este vinho acabou, é uma pena porque era um bom produto que tínhamos no mercado e que ajudava a elevar o nome da região. Sinais (tristes) dos (tristes) tempos...

Kroniketas, enófilo esclarecido

Região: Tejo

Vinho: Cabeça de Toiro Reserva 2008 (T)
Produtor: Enoport - Produção de bebidas
Grau alcoólico: 13,5%
Castas: Touriga Nacional, Castelão
Preço em feira de vinhos: 4,98 €
Nota (0 a 10): 7,5

Vinho: Guarda Rios 2007 (T)
Produtor: Vale d’Algares
Grau alcoólico: 14%
Castas: Syrah, Touriga Nacional, Alicante Bouschet, Merlot, Cabernet Sauvignon
Preço em hipermercado: 6,13 €
Nota (0 a 10): 7,5

Vinho: Guarda Rios 2008 (T)
Produtor: Vale d’Algares
Grau alcoólico: 14%
Castas: Syrah, Touriga Nacional, Merlot
Preço com a Revista de Vinhos: 6 €
Nota (0 a 10): 8

Sem comentários: