domingo, 21 de abril de 2013

No meu copo 311 - Quatro Castas Reserva 2002

Voltamos a um clássico que tem marcado pontos nas nossas provas ao longo dos anos. A compra de colheitas mais recentes tem mantido a bom recato as mais antigas. Tínhamos provado o 2001, depois o 2005, mais recentemente já entrámos em contacto com as novas versões mais estilizadas, no conteúdo e no rótulo. Mas sobre essas falaremos a seguir. Por agora é tempo de recuar no tempo.

A ocasião foi propícia para ir buscar um dos exemplares da colheita de 2002 que ainda sobreviviam na garrafeira. Tínhamos falado da colheita de 2005 em Dezembro de 2009, e antes disso da colheita de 2001, em Janeiro de 2009 e em Janeiro de 2008. Passados 3 anos voltamos à carga.

Previdentemente e atempadamente decantado (cada vez mais uma prática que temos vindo a instituir e que se tem revelado mais que acertada na esmagadora maioria dos casos, principalmente para os vinhos a partir dos 5 anos), a prova revelou-se... aquilo que se esperava. Mais uma vez, não desiludiu, antes pelo contrário. 10 anos após a colheita, mostrou uma pujança, uma frescura, uma vivacidade, uma panóplia de aromas e uma persistência verdadeiramente notáveis! Para quem pudesse pensar que o melhor ponto já tinha passado, esta garrafa mostrou o contrário. Estava num ponto óptimo, pleno de saúde. Os taninos estão lá por trás, firmes mas domados e discretos a contribuírem para a estrutura e longevidade deste vinho.

Já gastámos muitos adjectivos com as diversas colheitas deste vinho, que é um dos tais aparentemente mal-amados de que ninguém fala, mas que ao longo dos anos revelou uma consistência de qualidade notável. Sendo sempre elaborado com as melhores quatro castas do ano em partes iguais, podem existir de colheita para colheita algumas diferenças significativas de perfil, em função das castas utilizadas, mas esta pareceu-me ser uma das melhores combinações já conseguidas. E, no caso desta garrafa, pareceu estar ali para durar.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Quatro Castas Reserva 2002 (T)
Região: Alentejo (Reguengos)
Produtor: Esporão
Grau alcoólico: 14%
Castas: Aragonês, Cabernet Sauvignon, Touriga Nacional, Trincadeira
Preço: 11,99 €
Nota (0 a 10): 9

Sem comentários: