sábado, 17 de janeiro de 2009

No meu copo 228 - Duas Quintas Celebração - Quinta de Ervamoira

Já foi referida noutros blogs a razão de ser deste vinho. Houve quem se desse ao trabalho de transcrever a explicação do contra-rótulo, pelo que me dispenso de repeti-lo e sugiro a leitura do post respectivo no Pingamor, assim como a prova do Saca-a-rolha.

A explicação para o lançamento deste vinho é simples: foi produzido para comemorar o 10º aniversário da sobrevivência da Quinta de Ervamoira devido à não construção da barragem de Foz Côa. A relação que temos com os vinhos da Ramos Pinto é algo parecida com a da Sogrape e do Esporão: tudo o que sai de lá nos desperta a atenção. Quando vimos este vinho à venda, como o preço não era muito elevado deitámos-lhe logo a mão.

Há algumas semanas resolvi abrir este exemplar único que detinha num jantar com amigos, porque nestas coisas dos vinhos gosto sempre de bebê-los - quando espero que sejam dos melhores - compartilhando esse prazer com alguém. E que prazer este nos deu...

Parece um vinho feito à moda antiga. Com uma certa pujança mas ao mesmo tempo elegante. Bem estruturado e persistente sem deixar de ser macio. Marcadamente frutado, com nuances de frutos vermelhos maduros, bem envolvidos por uma suave especiaria que dá maior vivacidade ao conjunto. Tudo muito equilibrado. Um vinho que deixa saudades, como a paisagem da quinta me deixou quando lá estive. Se soubesse o que sei agora, tinha comprado mais.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Duas Quintas Celebração - Quinta de Ervamoira (T) (sem data de colheita)
Região: Douro (sem denominação de origem)
Produtor: Ramos Pinto
Grau alcoólico: 13,5%
Castas: não indicadas
Preço em hipermercado: 12,21 €
Nota (0 a 10): 8,5

Sem comentários: