terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

No meu copo 92 - Monte Judeu, Aragonês 2002

Há pouco mais de três anos desloquei-me em família para um almoço de aniversário ao restaurante “O Labrego”, na Feliteira, perto de Dois Portos (na zona de Torres Vedras). Este restaurante ainda há-de merecer uma apreciação mais detalhada aqui nas Krónikas Viníkolas depois duma visita que se espera para breve, mas por agora o que interessa referir é que ao escolher o vinho foi-nos apresentado pelo responsável um tal Monte Judeu de 2002, da Adega Cooperativa de Dois Portos, da casta Aragonês.

Comecei por torcer o nariz porque os vinhos que conhecia da zona de Torres Vedras eram dos piores que já tinha bebido, mas como nos foi dito que o referido vinho tinha sido premiado resolvemos arriscar. O almoço era cabrito no forno com arroz de miúdos (divinal, por sinal) e pedia um vinho bem encorpado e com alguma robustez, e a casta Aragonês parecia ser uma garantia de qualidade que poderia também fornecer essas características.

O resultado foi mais uma surpresa pela positiva. Apareceu-nos um vinho cheio de pujança, com bastante corpo a envolver o conjunto e com os taninos bem vivos a marcar uma adstringência final, associados a um certo carácter apimentado típico da casta. Sem dúvida, um vinho ainda por domar, pois tinha apenas um ano de existência, a precisar de algum tempo de garrafa.

Perante tão surpreendente revelação, no final adquirimos duas garrafas para levar para casa, cabendo-me ficar com uma que agora abri. Passaram três anos e agora o vinho apresentou-se muito mais macio, os taninos já quase não se notam, bebe-se com muito mais facilidade. Curiosamente, no entanto... fiquei com saudades do que tinha bebido há 3 anos. Aquela agressividade que tinha enquanto novo e que entretanto perdeu parecia, afinal, ser a própria alma do vinho. Acho que esperei tempo demais para ver como ele evoluiu. Tornou-se um vinho diferente que ganhou em suavidade o que perdeu em juventude e pujança. Como entretanto adquiri um exemplar de 2003, vou tratar de bebê-lo rapidamente para ver se ainda o apanho em plena força.

A conclusão que tiro desta experiência é que vale a pena bebê-lo novo para lhe apreciar toda a vivacidade que o afasta da vulgaridade.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Monte Judeu, Aragonês 2002 (T)
Região: Estremadura (Torres Vedras)
Produtor: Adega Cooperativa de Dois Portos
Grau alcoólico: 13%
Casta: Aragonês
Preço: cerca de 9 €
Nota (0 a 10): 7,5

Sem comentários: