quarta-feira, 8 de novembro de 2017

No meu copo 629 - Bom Caminho 2011

Continuando a trilhar um novo caminho, que repôs o nome desta empresa quase secular num lugar de destaque no mapa vinícola nacional depois dum período de alguma obscuridade, a década actual – mais coisa menos coisa – tem-nos mostrado uma empresa com um notável dinamismo e que se reinventou em cima do que chegou a parecer algum imobilismo.

Prova disso são as novidades com que somos brindados regularmente. Depois da revitalização de marcas que pareciam estar esquecidas, como o Frei João Reserva, o Porta dos Cavaleiros Reserva Seleccionada, o Caves São João Reserva ou o Quinta do Poço do Lobo, a empresa lançou-se numa renovação do seu portefólio com o lançamento de novas marcas, alternativas ou complementares às já existentes. Desde variantes do Caves São João até diversos tipos de espumantes, brancos Reserva, Frei João rosé e o primeiro Frei João Clássico, o leque de escolhas tem crescido significativamente.

Como sempre fomos provadores assíduos dos vinhos da casa, temos um vasto lote de vinhos provados e aqui publicados, tanto dos velhos como dos novos, pelo que é escusado estar a enumerá-los – basta procurá-los pela etiqueta “Caves Sao Joao” na secção Contra-rótulos (mais abaixo, do lado direito do ecrã).

Passando pelas já amplamente referidas edições comemorativas dos 100 anos que estão a decorrer até 2020, algures pelo meio apareceu este Bom Caminho de 2011, até agora em edição única e que se destina a homenagear os peregrinos que percorrem os caminhos de Santiago, em cujo percurso a sede das caves se situa.

Não foi coincidência o facto de termos efectuado a prova deste tinto próxima da prova do Frei João Clássico branco 2015. Quisemos mesmo comprovar que o caminho é este.

Em casa foi um sucesso, logo após a abertura, mesmo por quem prova e bebe pouco. Este não tem o rotulo de clássico, mas é autêntico, tanto quanto pode ser um Bairrada. O nosso saudoso Mancha ficaria deliciado com ele. Tem tudo o que um Bairrada clássico tem: estrutura, robustez, persistência, intensidade e profundidade aromática marcada por frutos vermelhos e pretos, taninos firmes e poderosos mas já muito polidos, a dar uma prova de boca harmoniosa, e aquele final longo e persistente característico dos grandes vinhos!

O preço? Esta garrafa foi lançada com a edição de Novembro de 2015 da Revista de Vinhos por 6 €, pelo que não cheguei a saber qual seria o seu real valor de mercado. Uma pechincha, portanto. Quem o tiver, não tenha pressa em bebê-lo, pois este é vinho ainda com muito para dar. Com 6 anos neste momento, está um viçoso jovem em crescimento.

Não há dúvida: com estas novidades e as antiguidades que repousam nas catacumbas a verem paulatinamente a luz do dia, as Caves São João (re)encontraram o Bom Caminho, que se augura auspicioso para os próximos 100 anos...

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Bom Caminho 2011 (T)
Região: Bairrada
Produtor: Caves São João
Grau alcoólico: 12,5%
Castas: Baga, Touriga Nacional, Merlot
Preço com a Revista de Vinhos: 6,00 €
Nota (0 a 10): 8

Sem comentários: