segunda-feira, 26 de setembro de 2016

No meu copo 552 - Tapada de Coelheiros 2008

Este é um clássico do Alentejo, um dos vinhos mais afamados da região já com uma longa história.

Foi aberto e degustado numa ocasião especial, a acompanhar uns deliciosos bifes de lombo de novilho, e fez parelha com um parceiro de ocasião igualmente especial, que será referido no próximo post.

Foi decantado com cerca de duas horas de antecedência e arrefecido para ficar à temperatura apropriada. A cor apresentou-se granada com ligeira evolução, tons acastanhados ainda não muito marcados mas já bem visíveis na orla do decanter (menos evidentes no copo).

No aroma mostrou aromas secundários, frutos vermelhos discretos e ligeira especiaria Na boca mostrou-se encorpado, complexo e envolvente, persistente e longo, com um final onde os taninos aparecem redondos mas bem presentes.

Para um vinho com quase 8 anos de idade, mostrou uma saúde invejável e pareceu estar num patamar óptimo de evolução. Poderia certamente aguentar muitos mais anos em garrafa, mas foi consumido num ponto bastante favorável, pelo que não se perdeu nada em bebê-lo agora.

Dentro desta gama de preços, é um valor seguro e em que vale a pena apostar para deixar repousar na garrafeira. Vai para as nossas sugestões.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Tapada de Coelheiros 2008 (T)
Região: Alentejo (Arraiolos)
Produtor: Herdade dos Coelheiros, Sociedade Agrícola
Grau alcoólico: 14,5 %
Castas: Aragonês, Trincadeira, Cabernet Sauvignon
Preço em feira de vinhos: 13,59 €
Nota (0 a 10): 8,5

Sem comentários: