segunda-feira, 8 de agosto de 2016

5º Festival de Vinhos do Douro Superior (1ª parte)

Concurso de vinhos




Finalmente podemos começar a contar a aventura no festival de vinhos do Douro Superior, que decorreu de 20 a 22 de Maio passado.

Acedendo a um honroso convite da Revista de Vinhos, desloquei-me até Vila Nova de Foz Côa na companhia de vários outros bloggers e jornalistas que foram companheiros de viagem no comboio de Lisboa ao Porto e no autocarro do Porto até Foz Côa.

A primeira etapa terminou nas margens do Douro junto ao Pocinho, na Quinta do Vale Meão, mas esse evento será contado a seguir. Para já, prioridade ao concurso de vinhos para o qual fui convidado como jurado.

Foi a primeira vez que participei num evento do género, uma experiência interessante e difícil como seria de esperar, mas muito instrutiva.

O concurso de vinhos decorreu no sábado, dia 21 de Maio, durante a manhã numa sala da Expocôa. Distribuídos por 7 mesas, os jurados provaram uma painel de vinhos brancos, três de vinhos tintos e uma de vinhos generosos. Dada a quantidade de vinhos em prova, em cada painel todas as mesas provaram vinhos diferentes, excepto no painel dos vinhos do Porto, em que todos provaram os 5 vinhos a concurso.

Todos os vinhos foram avaliados em prova cega, o que torna a missão mais complicada porque corremos o risco de pontuar de forma desproporcionada (para cima ou para baixo) um vinho que à partida consideraríamos melhor ou pior do que aquilo que depois nos parece quando não sabemos o que está no copo. Por outro lado, o facto de as várias mesas provarem vinhos diferentes pode introduzir um factor de risco que distorça os resultados da votação, se umas mesas usarem critérios de pontuação mais elevados que outras. Mas esse risco faz parte do jogo, e é com ele que convivemos. Talvez fosse interessante fazer uma espécie de “tira-teimas” com uma prova transversal que permitisse reavaliar os mais bem pontuados em cada mesa para equilibrar as votações. Fica aqui a sugestão.

Porque seria fastidioso listar aqui os resultados do concurso, que já foram muito divulgados em vários meios, deixamos apenas o link para o site da Revista de Vinhos onde os resultados foram publicados. Como balanço dos resultados, apenas uma referência especial a um dos brancos vencedores, o Passagem, que mais tarde teríamos oportunidade de provar em almoço no último dia. Todos os vinhos vencedores e medalhados justificaram o troféu, embora outros pudessem disputar essa honra com igual mérito.

Terminada a votação do concurso, seguimos para uma visita e almoço à Quintas da Cabreira, voltando ao festival da parte da tarde para uma visita ao pavilhão dos expositores. Com tantos vinhos já provados, acabou por não haver muita vontade para provar mais, até porque o programa iria prosseguir à noite.

Já tive oportunidade de fazê-lo, mas reitero os meus agradecimentos à Revista de Vinhos na pessoa de João Geirinhas, director da área de negócios, pelo convite que me foi endereçado. Se houver oportunidade de repetir a experiência, tentarei aproveitá-la com o mesmo gosto e o mesmo interesse.
A seguir fala-se de visitas, quintas, refeições e vinhos…

Kroniketas, enófilo viajante

Fotos: Ricardo Palma Veiga

Sem comentários: