quarta-feira, 6 de abril de 2016

No meu copo 519 - Fiúza, Chardonnay 2015

Continuamos no Tejo.

Apesar da minha relação difícil com os Chardonnay portugueses, que os produtores teimam em carregar de madeira tornando-os enjoativos (vá lá saber-se porquê…), resolvi arriscar neste monocasta da Fiúza, pois os brancos desta casa costumam primar pela agradabilidade e facilidade de beber.

Tenho provado variadíssimos brancos, tintos e rosés desta casa, mono, bi e até tri-varietais, quase sempre com resultados bastante satisfatórios. Basta recordar o 3 Castas branco, o rosé, o Sauvignon Blanc, o Alvarinho, o Cabernet Sauvignon e o Touriga Nacional. Como nunca tinha bebido o Chardonnay, achei que era altura de experimentar.

Não me arrependi, pois o vinho revelou-se simpático e apelativo. Tendo estagiado 3 meses em barricas de carvalho, não está marcado pela madeira, apresentando aroma tropical com alguma complexidade, algum floral e melado na boca, corpo delicado, estrutura média e final elegante.

Não é um branco para voos muito altos, mas pelo preço que custa não se pode exigir muito mais. Segue a linha de muitos brancos da Fiúza, aqueles descomplicados e que estão prontos a beber sem termos que congeminar grandes opiniões a seu respeito.

Agradou-me e não me importarei de repetir.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Fiúza, Chardonnay 2015 (B)
Região: Tejo (Almeirim)
Produtor: Fiúza & Bright
Grau alcoólico: 13%
Casta: Chardonnay
Preço em feira de vinhos: 3,89 €
Nota (0 a 10): 7

Sem comentários: