quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

No meu copo 434 - Grand'Arte, Touriga Nacional 2008

Voltamos aos vinhos monocasta de Lisboa e Vale do Tejo, e voltamos à região de Lisboa para revisitar a DFJ, uma das empresas que continuam a apostar nos tintos de casta única.

Neste caso abrimos uma garrafa de Touriga Nacional de 2008, que tinha sido adquirida em 2009 com um dos números da Revista de Vinhos. Cerca de 6 anos e meio depois da colheita, portanto. Apresentou-se um vinho robusto, poderoso, complexo, bem estruturado na boca e com final prolongado. Taninos bem presentes conferem-lhe alguma adstringência, denotando que ainda poderia repousar mais uns anos na garrafa, pois estava muito vivo e com algumas arestas por limar.

Não é o mais típico Touriga Nacional, fugindo um pouco às notas violáceas, conquanto tenha mostrado que estava ali para durar e bater-se com pratos de carne bem temperados e exigentes.

Não sendo encantador, não deixa ficar mal a nova vaga de vinhos da renovada região de Lisboa, mostrando que é possível obter aqui vinhos com perfis muito diversos mas de qualidade inquestionável e que podem projectar o nome da região para um patamar bem acima. Os agentes do sector têm feito por isso.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Grand’Arte, Touriga Nacional 2008 (T)
Região: Lisboa (Alenquer)
Produtor: DFJ Vinhos
Grau alcoólico: 13%
Casta: Touriga Nacional
Preço com a Revista de Vinhos: 5,95 €
Nota (0 a 10): 7,5

Sem comentários: