quarta-feira, 16 de abril de 2014

No meu copo, na minha mesa 377 - Vinha do Putto 2009; Restaurante Salsa & Coentros (Lisboa)

Há alguns anos, a convite dum familiar, conheci este restaurante, situado no bairro de Alvalade e quase em frente do Regimento de Sapadores Bombeiros da Avenida Rio de Janeiro, e não voltei a entrar lá desde então. Por circunstâncias diversas, agora passo várias noites por semana mesmo na esquina do restaurante no canto da rua. De tanto olhar para lá, e vê-lo sempre praticamente cheio, fui aguçando o apetite para lá voltar. Aproveitei uma ocasião de efeméride para ir lá fazer um jantar comemorativo em casal.

O ponto de partida deste restaurante, fundado por dois jovens cozinheiros provenientes de outros locais, é a comida alentejana. A carta é bem recheada no que respeita aos pratos típicos da vasta região: desde as entradas às sobremesas, passando pelas sopas e pelos pratos de caça, está lá um pouco de tudo o que caracteriza a cozinha alentejana.

Sendo eu um indefectível apreciador dos pratos de caça, a minha primeira escolha pendeu logo para o arroz de perdiz ou o arroz de lebre. Tratando-se de escolher dois pratos, e como não se esperava uma refeição muito volumosa, optámos por partilhar dois pratos: uma sopa de cação para entrada e um arroz de perdiz como prato principal. Ambos excelentes, muito bem apaladados. É difícil dizer qual dos dois estava melhor, porque não consigo encontrar defeitos em nenhum. O arroz de perdiz, claro, é uma das minhas paixões e estava malandrinho, cozido no ponto, perfeito.

Para terminar, outro doce incontornável entre a vasta oferta: uma encharcada de Mourão, com todos os requisitos.

Como a minha consorte não é grande consumidora, quando chegou à parte da escolha do vinho deparei-me com o problema habitual nestas circunstâncias: que vinho escolher e em que formato. À partida a opção iria recair sobre meia-garrafa, e havia diversas opções agradáveis. No entanto, vistos os preços e deparando-me com um vinho da casa praticamente ao mesmo preço das meias garrafas (variavam entre os 7 e 8 €), e sendo uma garrafa de 7,5 dl, acabei por escolhê-lo, sabendo que o que sobrasse na garrafa seria levado para casa. Tratava-se dum vinho de Carlos Campolargo, chamado Vinha do Putto e com o qual só me tinha cruzado há uns anos num winebar, na altura numa garrafa de branco.

Fiquei satisfeito com a escolha. Não sendo extraordinário, o vinho está bem concebido, é frutado com um toque inicial a amoras, bem estruturado e com alguma robustez, com final persistente mas arredondado. Não muito marcado pela madeira e sem que os seus 14% de álcool se sobreponham ao equilíbrio do conjunto. Não deslustra e tem um toque de modernidade que pode torná-lo apelativo para os mais resistentes aos tintos bairradinos.

Para os apreciadores da boa comida, de bom serviço e simpatia e, em particular, de comida alentejana, este Salsa & Coentros é um local que se recomenda e que merece ter sucesso. Uma equipa jovem, rápida, eficiente, atenciosa mas sem exageros nem demasiados salamaleques nem complicações faz um restaurante de ambiente descontraído onde o cliente se sente à vontade e é bem servido sem estar sempre a ser vigiado.

Em família ou em grupo, hei-de voltar.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Vinha do Putto 2009 (T)
Região: Bairrada
Produtor: Manuel dos Santos Campolargo
Grau alcoólico: 14%
Castas: não indicadas; conforme os anos, todas ou algumas das seguintes: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Syrah e Merlot (indicação no site do produtor)
Preço: 6,99 €
Nota (0 a 10): 7,5

Restaurante: Salsa & Coentros
Rua Coronel Marques Leitão, 12
1700-125 Lisboa
Tel: 21.841.09.90
Preço médio por refeição: 25-30 €
Nota (0 a 5): 4,5

Sem comentários: