sexta-feira, 4 de abril de 2014

No meu copo 374 - Marquês de Marialva Reserva 2006

Segundo dados oficiais, a Adega Cooperativa de Cantanhede, fundada em 1954, é o maior produtor de vinho da Bairrada, com uma produção que representará 30 a 40% da produção global da região.

Os seus vinhos tintos com denominação DOC Bairrada, baseados na casta Baga, apresentam um perfil clássico e assentam em duas marcas de referência, o Conde de Cantanhede e o Marquês de Marialva. Posicionam-se habitualmente entre as gamas média e baixa de preços, conseguindo-se por valores bastantes acessíveis vinhos ainda assim agradáveis e fáceis de beber, mesmo para aqueles consumidores mais receosos em relação à adstringência da Baga.

Os exemplares que já aqui tivemos oportunidade de aqui descrever (ver a etiqueta AC Cantanhede na secção Contra-rótulos) confirmam esta tendência. Neste caso tratou-se dum exemplar adquirido em 2009, e que passados estes anos apresentou-se de perfeita saúde, amaciado pelo tempo mas com boa estrutura e aroma frutado ainda jovem, persistência média, cor rubi aberta e sem sinal de declínio.

Pelo preço que custa, é uma boa compra e um vinho que não deslustra dentro do padrão mais tradicional da região. É um dos que mantemos normalmente nas nossas escolhas.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Marquês de Marialva Reserva 2006 (T)
Região: Bairrada
Produtor: Adega Cooperativa de Cantanhede
Grau alcoólico: 12,5%
Castas: Baga (90%)
Preço em feira de vinhos: 2,99 €
Nota (0 a 10): 8

Sem comentários: