sábado, 1 de fevereiro de 2014

Dãowinelover Masterclass: Dão Sul - Quinta de Cabriz (1ª parte)

      

No passado dia 25 de Janeiro, precisamente um ano menos um dia após a primeira iniciativa do género levada a cabo pelo grupo surgido e desenvolvido no Facebook, os Dãowinelovers deslocaram-se a Carregal do Sal para uma visita à Quinta de Cabriz, o berço da Dão Sul, uma das maiores empresas do país no sector da produção e comercialização de vinhos.

Por coincidência, aquando de uma anterior iniciativa que tinha decorrido em Outubro, dessa vez à volta dum almoço na Quinta da Espinhosa, já tinha tido oportunidade de, no regresso a casa, parar e almoçar no restaurante da Quinta de Cabriz, mas dessa vez só contemplando de fora o resto das instalações. Desta vez, com o amável contributo dos responsáveis da empresa, na companhia de dois dos comensais habituais, pudemos mergulhar no universo da Dão Sul, visitar os escritórios, as salas de fermentação em cuba, as linhas de engarrafamento, as salas de barricas e as caves onde milhares de garrafas de vinho repousam desafiando a prova do tempo.

O evento decorreu em várias etapas. A primeira consistiu na apresentação do universo Global Wines/Dão Sul, com uma introdução feita pelo enólogo Osvaldo Amado, que apresentou toda a equipa, desde o director-geral aos técnicos de viticultura ou laboratório, passando pelo marketing.

Vários oradores, apoiados numa apresentação de slides bastante clara, abordaram diversas vertentes da empresa, das diversas quintas que vão da Região dos Vinhos Verdes ao Alentejo, sem esquecer o Brasil, à respectiva caracterização geográfica e climática, e, obviamente, ao vasto portefólio de vinhos.

Esta primeira etapa serviu para abrir o apetite aos enófilos (e também alguns enólogos) presentes, pois foi-nos anunciado que teríamos à disposição nada menos de 35 vinhos para provar ao longo do dia!!! Antes, porém, os presentes divididos em dois grupos fizeram um percurso pelas instalações da empresa, terminando numa cave de barricas com ligação à cave de envelhecimento em garrafa. Aí estavam dispostas em várias mesas, e em barricas servindo de mesas, diversos grupos de garrafas de vinhos da Dão Sul produzidos no Dão: brancos fermentados em inox e madeira, tintos novos e velhos, espumantes, colheita tardia e licoroso. Os vários tipos de vinhos foram dispostos de forma organizada, permitindo aos visitantes escolher que tipo de vinho estariam a provar em cada momento.

Para além das colheitas mais recentes, numa das mesas tivemos oportunidade de provar quatro do Casa de Santar Touriga Nacional e outras tantas do Cabriz Touriga Nacional, e também pudemos degustar três colheitas mais antigas: o Casa de Santar de 1965, 1975 e 1983.

A manhã foi longa e, como a prova também o era, foi interrompida quando a fome apertava e eram horas de almoço. Este decorreu numa sala contígua ao restaurante aberto ao público, tendo-se provado entradas da Beira, massada de bacalhau e arroz de pato como pratos principais, e ainda requeijão com doce de abóbora e arroz doce como sobremesa. Para acompanhar estas iguarias estiveram à disposição os espumantes Quinta de Cabriz e Condessa de Santar, brancos, tintos, o Outono de Santar Colheita Tardia e o Cabriz licoroso.

Depois desta longa função, ainda houve oportunidade de voltar à cave para provar os vinhos que não tivéssemos tido oportunidade de provar durante a manhã. Aí, já em ambiente mais calmo, visitámos a enorme garrafeira onde se encontram as colheitas mais antigas do enorme espólio da Dão Sul.

Durante todo o evento, inclusive à mesa durante o almoço, tivemos sempre a companhia de alguém da equipa da Dão Sul, quer para nos darem os vinhos a provar, quer para ir trocando impressões sobre outros temas relacionados com o vinho ou a empresa.

Na segunda parte falaremos um pouco – ainda que não de forma exaustiva – de alguns dos vinhos provados, aqueles que mais nos impressionaram.

Kroniketas, Dãowinelover

Sem comentários: