segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

No meu copo 356 - Caves São João Reserva 1995; Porta dos Cavaleiros Reserva Seleccionada 1995

Para fechar o ano em beleza continuamos nas Caves São João, agora com duas relíquias de 1995: uma do Dão e outra da Bairrada, duas marcas emblemáticas e que fizeram história, não só na casa como no panorama nacional.

A aquisição destas garrafas foi impulsionada por dois artigos publicados em 2012 por João Paulo Martins, na sua coluna semanal no jornal Expresso. Num desses artigos falava das memórias dum dos fundadores das Caves, o sr. Luís Costa (em homenagem de quem foi lançado recentemente um espumante), e apresentava como sugestões de compra o Caves São João Reserva 1995, o Poço do Lobo Cabernet Sauvignon 1990 e o Porta dos Cavaleiros Reserva Seleccionada 1985, todos à venda na Garrafeira de Campo de Ourique, em Lisboa. No outro falava das relíquias existentes nas caves em formato magnum, e apresentava o extraordinário Porta dos Cavaleiros Reserva Seleccionada 1975 (que tivemos a felicidade de poder comprar e beber há uns anos, e que também esteve em prova no Mercado de Vinhos do Campo Pequeno, no início do passado mês de Novembro), o de 1966 e o Frei João Reserva 1985.

Perante tão aliciantes sugestões, num fim de tarde eu e o Politikos dirigimo-nos à Garrafeira de Campo de Ourique para ver o que havia que pudesse interessar. Saímos de lá com mais garrafas do que aquelas que íamos procurar, entre elas estes exemplares de que agora falamos, além de outros que entretanto foram sendo bebidos com os comensais do costume.

Estes dois, por serem do mesmo ano, foram deixados para emparelhar um com o outro em mais um encontro dos Comensais Dionisíacos, em que acompanharam umas costeletas de novilho e umas tiras de entrecosto grelhadas. Presentes na ocasião estiveram também outras relíquias da Sogrape, mas delas falaremos noutra oportunidade.

Tivemos o cuidado de abrir os vinhos com antecedência e verificar se seria ou não necessário (e conveniente) decantá-los.

Ambos se apresentaram de perfeita saúde, sem qualquer sintoma de perda de aroma ou envelhecimento excessivo. No entanto o Caves São João Reserva, em versão 100% Baga, contrariamente às expectativas apresentou-se mais delgado do que se esperava e com final algo curto, parecendo estar a perder robustez, pois mesmo com idade avançada é um vinho que costuma apresentar toda a sua pujança e estrutura, como tive oportunidade de verificar na prova do Reserva Particular de 1959, nas próprias Caves, aquando do Encontro com o Vinho e os Sabores da Bairrada.

O Porta dos Cavaleiros Reserva Seleccionada, por sua vez, estava à altura do que se esperava, com uma cor ligeiramente acobreada, notas discretas a alguns aromas do bosque mas sem estar demasiado exuberante, com corpo e acidez ainda em equilíbrio e um bom fim de boca, num conjunto harmonioso. Aguentou-se bem na prova com os grelhados, embora também pareça estar num ponto em que não melhorará muito mais.

Em suma, dois vinhos que, embora não estando num ponto excepcional como outros exemplares que temos provado, não desmereceram na experiência da prova, sobretudo pela raridade e porque continuam a ser dos tais que já não se vão fazendo.

E com isto fechamos o ano desejando a todos os enófilos um ano de 2014 repleto de boas provas. E não se esqueçam: “a vida é curta demais para se beber maus vinhos”. (Hubrecht Duijker)

Kroniketas, enófilo esclarecido

Produtor: Caves São João

Vinho: Caves São João Reserva 1995 (T)
Região: Bairrada
Grau alcoólico: 12,5%
Casta: Baga
Preço: 17,95 €
Nota (0 a 10): 7,5

Vinho: Porta dos Cavaleiros Reserva Seleccionada 1995 (T)
Região: Dão
Grau alcoólico: 12,5%
Castas: Não indicadas
Preço: 17,80 €
Nota (0 a 10): 8

Sem comentários: