quinta-feira, 9 de maio de 2013

Na minha mesa 314 - Restaurante XL (Lisboa)

 

Este é um clássico lisboeta, que conheço há quase 20 anos, ainda do tempo das instalações na Rua de S. Bento, um pouco acima do parlamento. Nessa altura o menu destacava-se principalmente pela variedade de bifes, onde sobressaía um com molho de tutano. Depois veio a doença das vacas loucas e esse exemplar foi retirado da ementa, com grande pena nossa nas visitas que lá fizemos.

Foram bons tempos em que era fácil ir lá jantar sem gastar uma fortuna. Com a mudança para a esquina da Calçada da Estrela com a Rua Miguel Lupi, mesmo ao lado do edifício da Assembleia da República, o estilo modificou-se. Decoração mais sofisticada, assim como o menu (muito elogiados são os soufflés, além de mais de 20 entradas), preços em crescendo, assim como o tipo de clientela. Mas a nossa aposta nas visitas que lá fizemos continuou a ser nos bifes, ainda e sempre com uma variedade assinalável, com opção entre lombo e vazia e uma panóplia de diferentes tipos de molho que fazem crescer água na boca aos mais famintos do tipo carnívoro...

O pior aconteceu com a garrafeira. A sofisticação do estilo e da clientela foi acompanhada dum disparatado aumento dos preços dos vinhos, que torna quase proibitivo beber qualquer vinho decente sem pagar mais pela garrafa do que por toda a refeição... Esse foi um dos motivos que fizeram com que mediassem quase 9 anos desde a minha visita anterior e a mais recente. Esta última decorreu há poucas semanas, em formato de casal, a propósito duma comemoração familiar. Contemo-la, então.

A deslocação processou-se com o objectivo focado nos bifes, embora haja muitas alternativas para onde olhar. O que nos chama mais a atenção são as variedades de molhos: molho XL, molho de mostarda à antiga, molho café Paris, molho de natas e por aí fora... Optámos por um com molho XL (na foto) e outro com molho café Paris. Bifes altos da vazia, no ponto (mais para o mal passado que para o bem, embora esse ponto de confecção não seja consensual no caso vertente). Ambos excelentes, o de molho XL mais clássico, o de molho café Paris mais aromático.

Pior foi a escolha do vinho. A carta é agora apresentada num tablet de reduzidas dimensões, que requer alguma prática de manuseamento de equipamentos do género, e uma acuidade visual apurada. Os preços, como se esperava, são absolutamente proibitivos. Os bifes custam entre os 15 e os 25 €, enquanto um vinho normal de entrada de gama aparece na carta a 20 €, um vinho da gama média vai para os 40 €. Os de topo custam centenas. Só por curiosidade olhei para o Barca Velha: 416 €! Um verdadeiro despautério, de todo injustificado, ainda mais nos temos que correm. Pode-se presumir que a generalidade da clientela não se deve importar muito com o preço das garrafas de vinho, mas a qualidade do restaurante, da confecção e do serviço são bem remuneradas em todo o resto da refeição, não se justifica tamanho exagero, que aliás já começa a ser corrigido noutros restaurantes que pecam pelo mesmo defeito.

Com bastante esforço lá se consegue encontrar uma ou outra garrafa na ordem dos 10-12 €, mas não é fácil. Como praticamente só eu é que ia beber, acabei por optar por um vinho tinto da casa numa daquelas garrafas de meio-litro quase em formato de jarro, por 8 €. Um vinho sem história, apenas aceitável para acompanhar a refeição.

A lista de sobremesas também é extensa e apetitosa, mas destaco um sorbet de limão e o gelado com chocolate quente.

O ambiente é acolhedor e ao mesmo tempo sofisticado, vai animando à medida que a casa enche, o serviço é simpático, eficiente e atencioso, enfim tem tudo para nos sentirmos lá bem e passar um bom serão à mesa. O pior é quando vem a conta. E se quiser beber vinho da carta, o melhor é rechear primeiro a carteira, ou levar um grupo de pessoas para dividir melhor o custo do líquido.

Só pelos preços dos vinhos não lhe atribuo a nota máxima, porque é de facto o grande e notório defeito a apontar. Não fosse isso e, embora caro, seria quase perfeito.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Restaurante: XL
Esquina da Calçada da Estrela com a Rua Miguel Lupi (entrada pela Rua Miguel Lupi)
1200-661 Lisboa
Telef: 21.395.61.18
Preço por refeição: a partir dos 40 €
Nota (0 a 5): 4,5

1 comentário:

L. disse...

é uma coisa ridícula, não tem explicação a não ser estupidez e ganância. eu tento uma vez por mês ir a um restaurante de nível mais alto, e preparado para pagar até cerca de 40 ou 45 euros pela refeição: couvert, entradas, prato, sobremesa, uma água... e vinho. e isto normalmente permite escolher uma garrafa pelos 20 euros. no máximo. ora quando por 20 euros o mais que se consegue é escolher um vinho que na garrafeira custa 6 ou 7... acaba muitas vezes por o vinho não acompanhar o carácter excepcional que se pretende com a ida a esse sítio. ou então, o cliente desiste do vinho e pede uma cerveja. se tiver vinho a copo, acaba por ir por aí, mas sempre com uma escolha incomparavelmente mais limitada. e é isto que o sector da restauração faz aos produtores. lamentável. simplesmente, não consta de minha lista de sítios a ir, o xl, embora há anos ande a ouvir falar dos bifes. há muito mais sítios para visitar, ainda assim, onde encontro vinhos a um preço, que ainda considero pouco justo, mas que consigo aceitar.