terça-feira, 31 de julho de 2012

No meu copo 286 - Quinta do Boição Reserva, Arinto 2010

Esta garrafa foi adquirida há poucas semanas, após o lançamento do número de Julho da Revista de Vinhos, como acontece quase todos os meses aquando da promoção do vinho do mês. Um prato de peixe um pouco mais sofisticado pediu um vinho branco e esta garrafa, como estava ali à mão, foi para o frigorífico mesmo a tempo de ficar à temperatura adequada para acompanhar o repasto.

A verdade é que o consumo, mesmo em família, não foi elevado, pelo que foi possível provar o vinho noutras refeições e com outros pratos. E o que provei agradou-me sobremaneira. Este Arinto de Bucelas, confirmando os seus pergaminhos, nunca nos desilude. Quer a solo quem em conjunto com outras castas, melhora sempre o vinho em que está integrada.

Neste caso fermentou em barricas novas de carvalho francês mas, ao contrário de muitos brancos que por aí andam carregadíssimos de madeira que ficam com um aroma enjoativo, temos a madeira muito discreta, apenas marcada o suficiente para dar alguma estrutura e complexidade ao vinho, integrando-se muito bem nos aromas citrinos que continuam a predominar sem estar ofuscados pela madeira.

Fazendo jus à sua tradição de produção dum clássico de Bucelas, o Bucellas Caves Velhas, amplamente provado neste blog, a Enoport – agora proprietária e sucessora das Caves Velhas – esmerou-se na produção deste Quinta do Boição, que em nada deslustra o seu antecessor. É um vinho marcado por uma certa elegância e finesse, onde tudo parece ter sido pensado ao pormenor para que todos os seus componentes se apresentem em equilíbrio.

Muito boa aposta da Enoport num vinho a revisitar.

Kroniketas, enófilo veraneante a caminho do Algarve

Vinho: Quinta do Boição Reserva, Arinto 2010 (B)
Região: Bucelas
Produtor: Enoport - Produção de bebidas
Grau alcoólico: 13%
Casta: Arinto
Preço com a Revista de Vinhos: 6,00 €
Nota (0 a 10): 8


PS - Certamente por distracção, a Revista de Vinhos apresentou uma foto dum copo de vinho tinto na página da promoção a este vinho. Requer-se mais cuidado em ocasiões futuras.

2 comentários:

Gustavo Fernandes disse...

Também adquiri este Boição, mas a minha ainda lá está à espera dum repasto porreiro para a abrir.

Concordo quando diz que os vinhos com excesso de madeira se torma enjoativos, e há mesmo muitos por aí.

Quando abrir este meu Arinto vou me lembrar de si ;-)

Um abraço

Gustavo Fernandes

Kroniketas disse...

Boa prova é o que se deseja!