segunda-feira, 23 de abril de 2007

No meu copo 108 - Quinta de Pancas, Cabernet Sauvignon 2000

Este é um dos vinhos que procuramos ter sempre nas nossas garrafeiras. Tanto assim é que até o tive demais, como se prova por esta abertura tardia de uma garrafa da colheita de 2000.

Foi um vinho degustado em duas etapas: no dia em que o abri não se bebeu mais de ¼ da garrafa, da segunda vez acabou-se, uma semana depois. Mantive-o durante esse tempo com uma rolha de vácuo e o que posso dizer é que essa semana fez muito bem ao vinho.

Na abertura mostrou-se com algum “pico”, como que a dizer que se estava a ir embora, e havia um fundo de sabores espúrios, identificáveis com um vinho já decadente. Uma semana depois estava completamente transfigurado. Claro que a cor era a mesma, um grená profundo, ainda não castanho, mas quase lá, e bem opaco. Os aromas eram complexos embora discretos, terciários, e na boca já não mostrou nada do tal pico – estava com um sabor aberto, agradável, couro e sabores maduros, que já não me atrevo a chamar fruta. Fim de boca longo e agradável, com o couro e algum fumo a dominarem.

Ou seja, mais uma vez tive uma boa surpresa com um vinho que abri quase em estado de urgência. Enquanto for assim, estamos bem.

tuguinho, enófilo esforçado

Vinho: Quinta de Pancas, Cabernet Sauvignon 2000 (T)
Região: Estremadura (Alenquer)
Produtor: Quinta de Pancas - Companhia das Quintas
Grau alcoólico: 13,5%
Casta: Cabernet Sauvignon
Preço em feira de vinhos: 6,88 €
Nota (0 a 10): 7,5

Sem comentários: